Overwatch

Novos visuais lendários: os bastidores dos visuais dos Arquivos de Overwatch de 2021

Novos visuais lendários: os bastidores dos visuais dos Arquivos de Overwatch de 2021

Uma matadora de dragões. Um samurai. Dois soldados lutando em lados opostos da Independência dos EUA. Quatro figuras deslocadas do tempo e unidas pela tinta de talentosos artistas conceituais de várias partes do mundo para o evento Arquivos deste ano. Para criar alguns dos visuais históricos, a equipe de Overwatch juntou-se a Yusuke Kozaki, um designer de personagens japonês que trabalhou em jogos como Fire Emblem, Pokémon e No More Heroes.

Cada visual Lendário do conjunto do Arquivos deste ano é inspirado em diferentes períodos históricos da terra natal dos personagens. Zarya usa o traje de um bogatyr, um cavaleiro andante russo dotado de força, bravura e do poder de matar um dragão, digno de uma das personagens mais fortes de Overwatch. Genji, com uma armadura cheia de detalhes, assumiu o manto de um samurai da era Sengoku, quando o sistema feudal do Japão ruiu e deu lugar a uma disputa de poder entre senhores de samurais e clãs de guerreiros. Já Tracer e Soldado: 76 estão em lados opostos da Guerra da Independência dos Estados Unidos, cada qual com chapéu tricórnio e casaca das cores de seu exército.

Saiba mais com Kozaki e os artistas conceituais de Overwatch David Kang e Daryl Tan sobre a história e o trabalho por trás de Tracer Cavalaria, Soldado: 1776, Genji Bushi e Zarya Polyanitsa.


Então, Yusuke, fale um pouquinho de você. Como você entrou na área? Como é o seu dia a dia?

Yuzuke Kozaki: Quando eu tinha 10 anos, meu sonho era ser quadrinista e, quando eu tinha uns 19, acabei conseguindo fazer minha estreia em uma revista! Depois disso, abri meu site de ilustração e a partir daí comecei a receber, aos poucos, mais e mais trabalhos de ilustração e design de personagens, e acho que o resto é história. Quanto ao meu dia a dia, eu tenho um novo trabalho: cuidar das minhas duas filhas. Gosto muito de cozinhar e geralmente faço isso para relaxar. Para mim, tanto cozinhar quanto desenhar são arte: poder ver o efeito da minha comida na minha família é muito gratificante. Além disso, também gosto de pegar minha bicicleta e dar uma volta. Ano passado, eu pedalei quase 600 quilômetros de Tóquio até Osaka!

Do que você mais gosta em Overwatch?

Kozaki: Eu adoro o aspecto coletivo de Overwatch. Poder juntar os amigos e lutar é muito divertido. Mas minha parte favorita são o poder do design e da arte do jogo. Embora existam limites para o que a arte pode fazer, acho que a arte de Overwatch consegue transcendê-los. Sempre fico impressionado com a capacidade da arte de ser visualmente agradável e ainda afetar o inconsciente.

O que você achou mais instigante de trabalhar com a equipe de Overwatch?

Kozaki: Eu acho que as iterações para tentar combinar o design e a atmosfera de Overwatch, além do processo contínuo de melhorar e polir os designs, foram as partes mais instigantes para mim. Arnold Tsang [diretor de arte de Overwatch], que pediu esses designs, frequentava muito o meu site quando ele era estudante e, embora não conversássemos na época, eu me sinto muito feliz e honrado de poder trabalhar com ele nessa escala!

Quais foram as inspirações históricas dos visuais que o pessoal desenhou?

Daryl Tan: No design do Genji Bushi, nós seguimos na direção de uma armadura de samurai com menos ornamentos e mais praticidade. Acho que procuramos mais armaduras de samurais da era Sengoku durante a fase de pesquisa, mas não era uma obrigação.

David Kang: Para a Zarya, nós fizemos o esboço inicial internamente e enviamos para nossos talentosos colaboradores externos para polimento e finalização do visual. Foi bem divertido trabalhar no design dela. O visual Polyanitsa é inspirado em um cavaleiro russo chamado bogatyr que aparece muito no folclore e em pinturas. Se não fosse pela Natalia, nossa produtora russa, teria sido muito difícil chegar a um design de armadura que parecesse autêntico. Houve muito diálogo durante todo o processo.

Yusuke Kozaki: [Para o Soldado: 76 e a Tracer], eu adicionei detalhes aos meus designs inspirados em uniformes de soldados da Guerra Civil e da Guerra da Independência dos Estados Unidos.

Como vocês veem a relação entre o tema dos visuais e os personagens?

Tan: Eu acho que foi muito fácil ver o Genji como um samurai do Período dos Estados Combatentes. Consigo imaginá-lo derrubando inimigos à luz do dia no campo de batalha, de armadura brilhando ao sol, ensopado de sangue da cabeça aos pés. E falando um pouquinho sobre o design do Genji Bushi, meu primeiro passo foi definir várias das placas do rosto: precisei descobrir como a máscara poderia cobrir o rosto sem incorporar as ideias dos visuais Oni e Demônio. Depois que isso foi definido, os outros elementos foram mais fáceis.

Kang: Eu achei a temática excelente para a Zarya, já que ela é como uma cavaleira moderna com armadura futurista. O design de armadura do cavaleiro histórico caiu como uma luva para ela. O bogatyr também é um matador de dragões, então tentamos implementar o motivo do dragão na personagem, principalmente na arma.

Kozaki: Eu acho que a dicotomia entre Estados Unidos e Reino Unido que existe com o Soldado: 1776 e a Tracer Cavalaria foi a chave dos designs.

Qual foi a parte mais interessante do processo de criação?

Kozaki: Foi muito divertido do começo ao fim! Eu diria que a melhor parte desse projeto foi o processo de tentar pegar alguns elementos da minha inspiração e recriá-los em novos designs sem mudá-los demais.

Até 27 de abril, você pode explorar novamente os Arquivos de Overwatch. Mergulhe em missões cooperativas de momentos marcantes do passado, teste suas habilidades com novos modificadores mortais de Desafios de Missões e ganhe recompensas históricas enquanto joga, incluindo a Tracer Cavalaria, Soldado: 1776, Genji Bushi e Zarya Polyanitsa.

Próximo artigo

Destaques