Overwatch

Uma fera de cada vez: os bastidores da Ashe Caçadora de Tigre e da Widowmaker Serpente Branca

Uma fera de cada vez: os bastidores da Ashe Caçadora de Tigre e da Widowmaker Serpente Branca

Envolto nas sombras, um espírito ofídico acompanha a presa pela mira de sua arma. Um segundo antes do disparo letal alcançar o alvo, um enorme tigre robótico surge na frente de sua dona, protegendo-a da franco-atiradora e oferecendo um momento para recuar e preparar um disparo certeiro contra quem tentou feri-la. Um duelo irrompeu no campo de batalha das feras Lunares — e você vai comparecer.

O Ano Novo Lunar de Overwatch é uma grande celebração da cultura e um evento querido por vários integrantes da equipe. Ele também é uma chance de artistas conceituais contarem histórias através dos visuais. Já tivemos visuais representando personagens da Jornada ao Oeste, os Quatro Símbolos, e os grandes senhores do Romance dos Três Reinos.

Este ano, feras lendárias se encontraram no ringue no Ano do Boi para dar aos jogadores a possibilidade de voar pelo campo de batalha com a Echo Kkachi, disparar das sombras com a Widowmaker Serpente Branca, enviar um B.O.B. feroz para atacar adversários desavisados com a Ashe Caçadora de Tigre e muito mais.

O artista conceitual sênior David Kang e o artista conceitual Tim Guo falam sobre a criação dos visuais da Ashe e da Widowmaker para este evento e sobre o que criar designs para o Ano Novo Lunar significa para eles.


Tem alguma parte do processo criativo que deixa vocês especialmente animados sempre que precisam criar algo novo?

Kang: Para mim, as ideias iniciais e os designs em que pensamos antes de escolher o tema definitivo. O público só enxerga o visual final, mas existem provavelmente três ou quatro conceitos diferentes dentro da mesma temática que não vão para frente. Eu sempre gosto da pesquisa no começo do desenvolvimento de cada visual. Sempre aprendo algo novo. Desta vez, aprendi bastante sobre animais e mitologia coreana.

Guo: Eu gosto de pensar em como misturar os heróis de Overwatch com temas interessantes inspirados em diferentes culturas. Quando estou criando um novo design, gosto de experimentar diferentes materiais, texturas e acabamentos de superfície para dar um senso de cultura e história. Esse foi o primeiro visual Lendário que criei desde que entrei na equipe conceitual, para falar a verdade, e recebi muita ajuda da equipe tanto no aspecto estético quanto no técnico do design.

 

Quais mitos serviram de inspiração para esses visuais?

Kang: A inspiração para o visual da Ashe foi Dangun, um mito coreano sobre uma tigresa e uma ursa. Na história, uma tigresa e uma ursa rezaram para os deuses para se tornarem humanas. Ao ouvir as preces, os deuses deram a elas vinte dentes de alho e artemísia e ordenaram que elas não comessem nada além desses presentes sagrados e passassem 100 dias sem se expor à luz do sol. Embora a tigresa tenha desistido, a ursa persistiu e se tornou humana — daí a temática de ursa para a Ashe e de tigre para o B.O.B.

Guo: A inspiração para o visual da Widowmaker veio de um conto folclórico chinês chamado “A Lenda da Serpente Branca”, em que o espírito de uma serpente branca assume a forma de uma mulher chamada Bai Suzhen.

Tiger Huntress Ashe Concept Art

 

O que nesses visuais é pessoal para vocês?

Kang: Fazer visuais coreanos para o Ano Novo Lunar sempre é pessoal para mim porque eu sou coreano. Criar esse visual trouxe de volta boas lembranças de ouvir o mito na escola lá na Coreia.

Guo: Muitos chineses como eu cresceram lendo romances e assistindo a adaptações para a televisão de “A Lenda da Serpente Branca”, então foi muito emocionante poder fazer minha própria adaptação da Bai Suzhen em um visual de Overwatch.

 

Por que esses temas específicos foram escolhidos para essas personagens?

Kang: Nós achamos que a lenda de um humano e um animal combinava muito bem com a Ashe e o B.O.B. Tudo nela se encaixava, uma ursa virando humana e o B.O.B. como um tigre robótico.

Guo: A Bai Suzhen de “A Lenda da Serpente Branca” é um animal letal e uma linda mulher — um arranjo perfeito para a Widowmaker, que tem essas duas características. E, embora eu já conhecesse a lenda, eu nunca tinha percebido que há tantas adaptações diferentes. Acabei me aprofundando muito mais nas representações visuais da Bai Suzhen em diferentes meios, como murais, pinturas, filmes, programas de televisão e até mesmo em óperas de Pequim.

Pale Serpent Widowmaker Concept Art

 

Do que vocês mais gostam na criação de visuais de Ano Novo Lunar?

Kang: Eu gosto de compartilhar a cultura oriental com o resto do mundo para pessoas que, de outra forma, jamais conheceriam lendas assim.

Guo: Sim, eu também acho que minha parte favorita de planejar visuais de Ano Novo Lunar é olhar para a minha própria cultura e encontrar histórias que podem ser contadas através dos nossos heróis. E também é divertido criar visuais mais coloridos, comemorativos e festivos em contraste com as temáticas mais sombrias.

 

Qual é o seu detalhe favorito do visual?

Kang: Os detalhes nas costas da Ashe e do B.O.B. Eu tentei imitar o estilo tradicional de arte coreana e incorporar os designs do urso e do tigre.

Guo: Um dos meus detalhes favoritos no visual é o bracelete verde de jade. No folclore, Bai Suzhen está sempre acompanhada por uma serpente verde chamada Xiaoqing que não sai do lado dela. Eu não queria deixá-la de fora, então fiz um bracelete de jade em forma de serpente para representar esse companheirismo.

Pale Serpent Widowmaker Weapon Concept Art

 

Como vocês fazem cada visual se destacar dos visuais anteriores dos mesmas personagens?

Kang: Eu tento fazer o visual o mais diferente possível dentro dos limites da silhueta, brinco com materiais, cores e, o mais importante, com a temática.

Guo: Eu também sempre tento dividir a silhueta onde for possível para fazer com que a visão geral seja diferente dos outros visuais. Busco usar paletas de cores inéditas — nesse caso, cores mais pálidas como branco, prateado e rosa com tons de roxo e verde criam uma combinação única que ajuda o visual a se destacar dos visuais tradicionais da Widowmaker, que têm tonalidades mais escuras.

 

O que vocês esperam que esses visuais e esse evento transmitam aos jogadores?

Kang: Eu espero que os jogadores busquem as histórias e as ideias por trás dos visuais. Tenho certeza de que vão gostar muito mais deles quando descobrirem o que representam.

Guo: Animais das lendas e do folclore sempre transmitem um senso de encantamento e misticismo, e eu espero que esses visuais possam passar essas sensações aos nossos jogadores. Espero que sejam um convite para que as pessoas que não conhecem algumas dessas histórias busquem os trabalhos incríveis de arte e literatura que nos inspiraram.


Está na hora de entrar na refrega e celebrar o retorno do Ano Novo Lunar de Overwatch com novos itens cosméticos temáticos, recompensas semanais e uma nova contenda que vai pôr suas habilidades de fora da lei à prova: Caçador de Recompensas!

Próximo artigo

Destaques